26 novembro 2007

Diga-me onde moras...


Morning Sunrise
Upload feito originalmente por Riso&Akko
Dois alunos na mesma classe. O tema, ética transcultural.

Maria havia dedicado sua vida como missionária na África. Inteligente e vibrante na defesa de suas idéias, seria no jargão teológico identificada e definida como "conservadora". Agressivamente defendia a idéia de que o evangelismo verbal era prioritário e que ética social não era parte integral do evangelho.

A mesma Maria gastou sua vida morando entre os mais necessitados e lutando por seu bem-estar. Abriu mão de suas posses, ajudou as pessoas a terem acesso à água limpa, organizou-os para que resistissem às tentativas do governo de tomar suas terras, ensinou-os a ler e defendeu o orgulho que deveriam ter por sua cultura tradicional. Por longos anos Maria viveu numa choça com piso de chão batido.

Carlos era um marxista cristão no mesmo curso. Sentava-se ao lado de Maria. Nos debates entre os alunos, Carlos se mostrava um apaixonado defensor da justiça social. Era inevitável que várias vezes suas idéias se chocassem com as de sua companheira de classe. As notas dessas discussões ele as escrevia com uma caneta cujo preço era maior que o orçamento mensal de Maria. Carlos trabalhava para o
Bank of America e vivia em um confortável apartamento em uma próspera zona da cidade.

O professor, que compartilhava as idéias de Carlos quanto à missão integral, passou a admirar cada vez mais a Maria. Ele passou a lembrar-se das três regras de ouro dos agentes imobiliários: “localização, localização, localização”. E pensava no quanto a nossa geografia influencia nossa teologia e missiologia. Não apenas em retórica, mas em integridade de vida e ação concreta.

Nesse dia, nosso mestre deixou a faculdade pensando que “o primeiro passo para alguém preocupado em justiça social talvez seja o mudar-se de casa”.


[Essa breve reflexão baseia-se livremente na história relatada por Bernard Adeney-Risakotta em seu excelente livro Strange Virtues, ethics in a multicultural world, IVP (p. 226). Os nomes Maria e Carlos são fictícios.
Bernard, o nosso professor na historieta acima, é filho do brillhante missionário inglês David Howard Adeney, que atuou com a China Inland Mission, OMF e IFES. David foi exemplo e inspiração para gerações de líderes na obra estudantil em todo o mundo, mas em especial no extremo oriente, até sua morte em 1994.

Bernard
vive hoje em Yogyakarta, Indonesia, onde é Diretor Assistente do Programa de Graduação da Universitas Kristen Satya Wacana]


Foto: Morning Sunrise
Upload feito originalmente por Riso&Akko

4 comentários:

tacy_cfi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
tacy_cfi disse...

Querido...adoraria mudar minha geografia para viver integridade de vida e ação concreta...mas estou presa ao sistema e sempre digo que sortudos são os missionários que podem viver integralmente de sua missão. Eu já não tenho este privilégio ...vivo na parcialidade e relatividade...meu desafio é conviver com estes dois mundos...bjus

Patrick Timmer disse...

Grande Ricardo!

Rapaz, seu blog virou 'passagem obrigatória' para mim, e tenho lido com atenção seus interessantíssimos textos. (sim, eu sofro desse mal de não saber desligar o computador).

Saudades dos nossos cafés-da-manhã!

Deus conceda o entendimento e a vivência da Sua graça para você e para sua família.

Abraços, Patrick.

Ricardo Wesley M. Borges disse...

Olá querida Tacy,
Essa breve reflexão é também escrita e lida "contra mim". Minha geografia, no Brasil ou fora do Brasil, nunca foi exemplo ou modelo a seguir. Vivi e vivo confortável. Mas justamente porque esses pensamentos me provocam, pensei em colocá-los aqui.
Saudades de todos.
Também saudades dos cafés-da-manhã, Patrick.
Abraço forte!